Estados discutem segurança pública no Amapá

Na manhã de quinta-feira, (22), no Ceta-Ecotel, localizado no Distrito de Fazendinha foi aberta a XX Reunião Ordinária do Conselho de Segurança do Meio Norte-COMEN.

As reuniões do COMEN acontecem trimestralmente e o Amapá sedia o encontro pela terceira vez.

O objetivo do evento é discutir a integração e a democratização das polícias, buscando seguir uma diretriz adotada pelos sistemas de segurança nacional que objetiva criar uma polícia sem fronteiras no País.

O secretáario de governo, Edvan Barros ao se pronunciar afirmou que a solução dos problemas de segurança pública deve se dar em diferentes níveis de estratégia. A capacitação policial, reforço do equipamento destinado a promover a segurança pública, tecnologia em segurança, principalmente nas delegacias, e integração com a comunidade, desafio estratégico que ainda não foi muito bem percebido pelo conjunto do sistema de segurança pública do país. “No Amapá nós avançamos nesse processo e esse avanço do Amapá é reconhecido pelos demais estados membros do Conselho”.

Com relação aos recursos alocados para os estados no Plano Nacional de Segurança Pública, Edvan Barros lembrou que em breve o Amapá terá um ato desse recurso: A inauguração da Central Integrada de Segurança Pública-CIOSP. Anunciou ainda que já existe recursos assegurados para construção de CIOSP´s nos bairros Congos e Novo Horizonte.

Paulo Sette Câmara, Presidente do COMEN e Secretário de Segurança do Pará afirmou que a saída para as Instituições que integram a segurança pública no meio Norte é a democratização de suas ações. Todos precisam entender que o cidadão deve participar ativamente do planejamento da segurança, pois ela trabalha para o cidadão.

Com relação à segurança pública na Amazônia, Sette Câmara reconheceu que é um desafio promover este serviço num continente como a Amazônia que possui distâncias geográficas consideráveis e com meio de transporte peculiar que cria empecilho para uma atuação eficaz do aparelho policial. “Na Amazônia precisamos ser criativos e interativos entre os estados da região, principalmente o Pará e o Amapá”. Concluiu.

Durante o dia de hoje aconteceu à exposição da Elizabeth Maria Pereira Ferreira, médica psiquiátrica do CPC “Ranato Chaves” e Serviço Psicossocial da Polícia Civil do Pará sobre o tema: “Atividade Policial e a Saúde Mental” e outra palestra sobre a “Democratização das Decisões de Segurança Pública” proferida por Paulo Sette Câmera.

A XX reunião do Conselho do Meio Norte encerra amanhã com a seguinte programação:

09:00 h – Exposição: TEMA – A violência e criminalidade no Brasil e a defesa do

cidadão patrocinada pelo Estado

09:50 h – debates sobre o tema

10:10 h – intervalo

10:40 h – Programas do COMEN – Prevenção e repressão às drogas

11:20 h – Reflexão sobre o COMEN e seu futuro

12:00 h – O que ocorrer

12:50 h – Agradecimentos e despedidas

13:00 h – Declaração de encerramento.


Roberto Gato


Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433


Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.