Comissão vai tratar da
transferência
do pessoal do Ipesap

O secretário especial de Governo Edivan Barros, a secretária de Administração, Marivalda Maciel e a secretária de Educação, Janice Palmerim estiveram reunidos, 22, com o presidente do Sindicato dos Profissionais em Educação do Amapá (Sinsepeap), professor Carlos Guilherme Melo. Na pauta, a qualificação dos professores estaduais para o atendimento da nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB); promoção funcional dos professores estaduais; aproveitamento dos professores das disciplinas especiais extintas pela nova LDB e a constituição da comissão dos conselheiros titulares e suplentes do Conselho Permanente de Valorização do Magistério. Durante a reunião, ficou acordada com o sindicato, a continuidade da promoção e da progressão, que já vinha acontecendo, e a reativação do Conselho Permanente de Valorização do Magistério (CPVM), que conta com quatro titulares e quatro suplentes, em número proporcional. Ou seja, dos oito conselheiros, quatro são da Seed e quatro do Sinsepeap. Esse Conselho pretende manter um canal aberto entre essas secretarias e o sindicato, para uma constante avaliação das reivindicações e valorização da categoria.

Edivam Barros sugeriu a readaptação dos professores das disciplinas especiais que foram extintas, como Educação para o Lar, Técnicas Agrícolas, etc, para a área de educação ambiental. Esses profissionais receberão treinamento especial, através do Centro de Formação e Desenvolvimento em Recursos Humanos (Ceforh). "Nós precisamos sistematizar melhor a questão da Educação Ambiental e esses professores podem trabalhar a sustentabilidade, através de um trabalho multidisciplinar dentro das escolas". O secretário pediu um levantamento do número de professores nesta situação, para que uma providência imediata seja tomada. Segundo ele, essa é uma reivindicação da governadora Dalva Figueiredo.

Com relação à qualificação dos professores estaduais, Janice Palmerim disse que ficou definido que os professores do ensino médio continuarão recebendo essa qualificação. "No entanto, para as séries iniciais, será constituída uma comissão que irá nortear os investimentos que serão feitos nos profissionais que ainda não conseguiram entrar na universidade", finalizou a secretária.

Ipesap

Marivalda Maciel, da Sead, falou que os professores advindos do extinto Ipesap, em 30 dias terão suas situações regularizadas. "Foi nomeada uma comissão que fará a transmissão dos empregados do Ipesap para o GEA. Com relação à carga horária, até receberem a baixa em suas carteiras, esses profissionais terão que cumprir a que foi estabelecida pelo antigo empregador".

Com referência aos salários, esse mês o pagamento ainda será feito pelo Ipesap. "Apesar do órgão ter sido extinto, a lei fala em trinta dias para a regulamentação". Quanto ao reajuste, eles farão jus ao mesmo percentual de 12,5%, porém, somente quando estiverem definitivamente no quadro do Estado. Ela esclareceu que o aumento terá efeito retroativo a abril.

Carlos Guilherme falou que é muito importante poder discutir os interesses da categoria. "As discussões estão apenas começando. Nós já marcamos para a próxima semana uma outra reunião, essa com a presença do Ceforh, para definirmos a situação dos professores das disciplinas específicas do segundo-grau, hoje ensino médio". O presidente também concorda com o governo quanto ao adiamento da criação da universidade estadual em função da falta de recursos financeiros. "Esse projeto é importante, mas precisa de uma dotação orçamentária. Eu penso que se deve aguardar e buscar nas instituições públicas e privadas, recursos para o futuro. Nós sabemos que no momento o governo estadual não possui as dotações para fazer funcionar a universidade", concluiu ele.

Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433


Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.