LIVRO REVELA A HISTÓRIA DA
CONSERVAÇÃO DO PEIXE-BOI

Leitura obrigatória para quem quer entender sobre a biodiversidade brasileira, o livro "Peixe-Boi, a história da conservação de um mamífero brasileiro" é o mais expressivo relato publicado até hoje no país a respeito de um trabalho de preservação da fauna brasileira.

A publicação conta a história dos esforços, das lutas e das vitórias do Projeto Peixe-Boi, um dos mais inspirados e importantes projetos de proteção de um animal em vias de extinção. O livro está disponível nas principais livrarias brasileiras ou através do endereço eletrônico [email protected]

Aos 21 anos de existência, o Projeto Peixe-Boi é reconhecido internacionalmente pelo desenvolvimento técnico e científico que vem alcançando, apesar do seu pouco tempo de existência. Hoje, por exemplo, com tecnologia de ponta genuinamente nacional, seus pesquisadores fazem análises de DNA e já conseguem reproduzir em laboratório o leite materno desse animal marinho, que, infelizmente, figura como o mamífero aquático mais ameaçado de extinção do Brasil. Existem menos de 500 desses mamíferos vivendo no litoral do país.

Além disso, pesquisadores do Projeto desenvolveram avançadas técnicas de reintrodução de peixes-bois na natureza, atividade que vem sendo realizada com sucesso em praias selvagens da costa brasileira.

O livro revela, aliás, que desde o início das atividades do Projeto Peixe-Boi a natureza passou a contar com um forte aliado pela sua preservação. O Projeto foi responsável direto pela criação de 3 áreas de proteção ambiental (APA) em importantes trechos dos litorais do nordeste e do norte: Barra de Mamanguape (Paraíba), Delta do Parnaíba (entre Piauí e Maranhão) e Costa dos Corais (entre Alagoas e Pernambuco).

Com um texto didático e ágil em tom de reportagem, fotos inéditas feitas no habitat selvagem do mamífero e com um design moderno, "Peixe-Boi, a história da conservação de um mamífero brasileiro" é um retrato do Brasil ainda pouco conhecido, onde pesquisadores e comunidades lutam, por iniciativas pessoais, pela preservação de espécies e do nosso planeta.

Quem são os autores:

Régis Pinto de Lima é o chefe nacional do Centro Mamíferos Aquáticos e coordenador do Projeto Peixe-Boi, além de membro da delegação brasileira na Comissão Baleeira Internacional. É responsável pela supervisão técnica do livro.

Sérgio Túlio Caldas, jornalista, trabalhou para os principais jornais e revistas do país, como O Estado de S.Paulo e Veja. Recentemente deixou o cargo de editor da revista Terra, a principal publicação de meio ambiente do Brasil, para tornar-se um colaborador especial desse veículo. Ele acaba de associar-se à produtora de vídeo DGT Filmes, de São Paulo, especializada em ecologia e viagens culturais. Recentemente foi premiado pela ONG Conservation International, baseada em Washington (EUA), com reportagem sobre a Mata Atlântica. Luciano Candisani foi o primeiro fotógrafo brasileiro profissional a registrar a vida submarina da Antártica. Seu trabalho, reconhecido internacionalmente, é voltado para registros da vida selvagem e da natureza do Brasil e do mundo. Colabora para grandes publicações como National Geographic, Veja, Terra, Época e Superinteressante.

Alessandro Meiguins, designer gráfico, é responsável pela criação gráfica do livro. Jornalista, ele também dedica-se a trabalhos ligados a meio ambiente, realizando reportagens para as revistas Terra e Superinteressante, entre outras especializadas na área.

Sérgio Túlio, Candisani e Meiguins, profissionais ligados à área do meio ambiente, são os criadores do Projeto Brasil Ecológico, uma série de livros que tem como objetivo divulgar importantes iniciativas de proteção e conservação da natureza no Brasil (e- mail: [email protected]). Peixe-Boi, a história da conservação de um mamífero brasileiro é o primeiro deles.(Ibama)

Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433


Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.