Empresa alemã coopera na
implantação de crédito rural


Depois de despontar como a primeira no ranking das agências financiadoras de pequenos empreendedores do Brasil, a Agência de Fomento do Amapá (AFAP) se mobiliza para ampliar mais ainda o seu raio de ação no sistema de microcrédito.

Para isso, trouxe ao Amapá o especialista em microfinanças na área de crédito rural, William Diaz, da empresa de consultoria alemã GTZ – Deustche Gesellscharft für Technnische Zusammennarbeit – que já desenvolve serviços no Brasil e tem representação em Brasília.

A GTZ é uma agência implementadora de projetos de cooperação técnica, com atuação em 135 países do mundo, em mais de 40 áreas, como: desenvolvimento de sistemas financeiros e serviços bancários, meio ambiente, saúde e educação, entre outras.

As experiências na área de crédito rural também estão espalhadas pelo mundo. As mais relevantes são os bancos de fomento que estão na Indonésia ("Bank Rakyat of Indonésia/BRI" e "Bank Kekamatan/BKK"), Tailândia ("Bank of Agriculture and Agricultural Cooperatives/BAAC"), El Salvador ("Financiera CALPIA"), e no Peru ("Cajas Municipales de Aboyo y Crédito") – esta última, um sistema de 11 instituições públicas de poupança e crédito, de propriedade de prefeituras do país vizinho.

No Brasil, praticamente não existem experiências consolidadas em crédito rural. "Vamos nos valer da experiência da GTZ, que atua no mundo inteiro, e adaptar à realidade local, para que se possa melhor atender aos agricultores, de acordo com uma linha que venha salvaguardar os interesses da agricultura no Amapá", salienta o diretor-presidente da AFAP, Sávio Peres.

A prática inicial, segundo o consultor William Diaz, é identificar mecanismos que possam ser criados para brindar a assistência técnica da AFAP. E o principal sinal é o reconhecimento do profissionalismo com que a Agência vem conduzindo o processo de oferecer serviços financeiros à população.

"Um bom exemplo é a Amasol – Programa de Crédito Popular Amapá Solidário. Os indicadores que me foram apresentados durante esse nosso primeiro encontro me tem permitido verificar que a experiência desenvolvida pela AFAP constitui-se como uma das mais relevantes do Brasil" – observa o consultor.

Atualmente no Amapá a GTZ desenvolve um projeto de gestão ambiental urbana para a Secretaria de Estado do Meio-Ambiente (Sema). Em Pernambuco, ela trabalha na assistência de um programa de crédito rural chamado Pró-Renda. E na Amazônia, ela se concentra no apoio ao programa PPG-7, de conservação da floresta amazônica, em respeito ao meio ambiente. (Aroldo Pedrosa)

Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433


Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Jurupary
Ente do mal. Demônio dos olhos de fogo que vive na floresta
Piracema
Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.