Entidades denunciam forma
de criação do Parque Nacional

Pela forma intempestiva que o presidente Fernando Henrique Cardoso uso para criar o Parque Nacional das Montanhas do Tumucumaque, já era esperada a reação de pelo menos parte da sociedade brasileira. FHC usou o poder, como havia prometido, e não a persuasão que seria ideal. Com isso a reação em princípio quando a CPT considerou "migalhas" as compensações oferecidas pelos mais de 38 mil km² de área que o Parque ocupa. Agora outras entidades se juntam e divulgam uma nota, que você lê em seguida:

Manifesto do Tumucumaque

No momento em que a sociedade mundial está voltada para a realização da Encontro da Terra para o Desenvolvimento Sustentável, o Grupo de Trabalho Amazônico - GTA e a Comissão Pastoral da Terra - CPT (regionais do Amapá), manifestam junto com a sociedade amapaense sua indignação com o decreto presidencial que, no dia 22 de Agosto passado, determinou a Criação do Parque Nacional das Montanhas do Tumucumaque.

Não estamos contra a preservação destas nossas terras, águas e florestas das quais estamos cuidando desde sempre, e que fazem do Amapá o estado mais preservado do País.

Não aceitamos, porém, que:
- Esta decisão tenha sido tomada de cima para baixo sem que a população local tenha sido ouvida e esclarecida;
- Esta decisão tenha sido tomada antes de realizar os mínimos estudos necessários para uma ação desta importância;
- Esta decisão tenha sido tomada sem levar em consideração todas as propostas da sociedade e do governo amapaense e as conclusões do Grupo de Trabalho
- Esta decisão tenha sido tomada, como disse o próprio Presidente do Brasil em seu pronunciamento oficial, porque "gostamos sempre de bater recorde, esse é recorde também. É maior Parque numa floresta tropical, no mundo". Esta não é razão que deva ser levada em conta;
- Existam em nosso estado áreas identificadas como prioritárias e urgentes para a proteção da biodiversidade, correndo o risco de perda irreversível e que não estão sendo levadas em consideração pela pequena repercussão da notícia;

Em troca deste enorme serviço ambiental prestado à humanidade, o Presidente do Brasil resolveu liberar para o povo do Amapá a título de compensação só uma parte do que já estava previsto no orçamento do Brasil e que não chega a oito milhões de dólares.

É muito pouco, visto que com a criação do Parque Nacional - que vai se somar às demais unidades de conservação do Estado - 54% do nossa terra será dedicado à preservação ambiental em favor do futuro do nosso povo e da humanidade toda.

A preservação não pode ser uma punição e um peso para uma população tão necessitada.

Ela deve ser retribuída em proporção ao valor do serviço prestado, com medidas que possibilitem o desenvolvimento sustentado priorizando a melhoria da qualidade de vida, senão todo discurso perde sua razão.


Macapá-AP, 26 de Agosto de 2002.

Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433


Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.