PT do Amapá vai entrar com
representação contra procurador

O PT do Amapá estuda ingressar com representação junto à
Corregedoria-Geral do Ministério Público Federal contra o procurador Manoel Pastana, de Macapá, por perseguição política. O procurador acusa, sem provas, os deputados federais petistas eleitos pelo estado, Antônio Nogueira e Hélio Esteves, de comprar votos para se eleger.

Na queixa formal que deve ser apresentada também ao procurador-geral
Geraldo Brindeiro, o PT argumentará que Pastana cometeu crimes de abuso de poder, desvio de finalidade, promoveu investigações clandestinas e diversas arbitrariedades, além de negar acesso aos acusados aos autos das investigações.

Passados mais de 50 dias da eleição de outubro, Pastana não fez nenhuma denúncia formal contra Nogueira, a quem acusa, em entrevistas à imprensa, de trocar carteiras de habilitação por votos. Nenhuma testemunha comprovou a denúncia. Contra Esteves, o procurador não reuniu provas que confirmem que o deputado teria distribuído dinheiro em troca de votos. Mesmo assim tem dito à imprensa que levará os petistas à cassação.

Há algo estranho no comportamento do procurador. É só ver o número de ações contra o PT propostas por ele. Nogueira conta que o procurador voltou-se contra ele após desentendimento havido entre os dois. "Fui cobrar dele postura correta do Ministério Público. Ele ia todo dia para a imprensa dizer que cassaria a candidatura à reeleição da governadora Dalva Figueiredo. A partir daí ele passou a me perseguir", declara. Nogueira relata que o procurador mandou prender seu irmão em flagrante há 15 dias por crime eleitoral. A prisão foi considerada arbitrária - por estar fora do período eleitoral - pelo ministro Nelson Jobim, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Os advogados do PT vêem conotação política nas ações do procurador. Ele tentou cassar a candidatura de Dalva Figueiredo por suposto uso de recursos públicos para propaganda política. Não apresentou provas necessárias e Dalva foi inocentada pelo TSE.

Pastana implicou ainda com os candidatos a deputado pelo PT, Wellington Ferreira e Promotor Moisés, não eleitos. O procurador não conseguiu provar as denúncias contra Wellington. O caso foi arquivado e o petista, que perdeu a eleição, estuda entrar com ação judicial pedindo reparação por danos morais.

A ação de Pastana causou ainda irreparáveis prejuízos não só à imagem mas à campanha eleitoral de Promotor Moisés que, embora tenha sido um dos mais votados do PT do Amapá, não conseguiu se eleger por causa da perseguição do procurador. O inquérito contra o Promotor Moisés foi tão inconsistente que também acabou arquivado.( Informes)

Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433


Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.