Polícia Técnica vai promover
revitalização para mehorar serviços

A Polícia Técnico-Científica (Politec), no Amapá anuncia para a segunda quinzena deste mês, a realização da “Semana de Revitalização e Integração”. O objetivo é reunir todos os órgãos que trabalham correlacionados com a Politec. A proposta, explica o médico Jarbas Cordovil de Ataíde, diretor do órgão, é esclarecer entre outras coisas, o papel da Politec, serviços que oferece e a estrutura humana e de material da autarquia. O encontro ocorrerá no prédio da Politec, no bairro São Lázaro.

Jarbas Ataíde crê que a partir deste encontro muitas dúvidas a respeito dos serviços da Politec serão tiradas. “A Politec não trabalha apenas com óbitos; são inúmeros serviços prestados a sociedade, porém na maioria das vezes passam despercebidos”, diz o diretor.

Segundo o diretor da Politec, irão participar do evento o Ministério Público do Estado, Defensoria Geral do Estado (Defenap), Tribunal de Justiça do Amapá, Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp), entre outros.

PARCERIA - A direção da Politec pretende também com o encontro saber qual a contribuição que esses órgãos poderão dar para melhorar os serviços oferecidos pela instituição. “São setores que direto ou indiretamente acessam os serviços oferecidos pelo órgão”.

A intenção é tornar o atendimento cada mais humanizado e eficiente, de modo que todos possam dar sua parcela de colaboração. Para isso, a Politec buscará ainda apoio da própria comunidade, através de Conselhos Interativos de Segurança Pública e do Fórum de Segurança Pública e Associação de Moradores.

Entre as principais atividades realizadas pelo órgão destacam-se o serviço de Identificação Civil e Criminal e Criminalística. Ataíde garante que desde a descentralização do serviço de expedição de Carteira de Identidade, o índice de solicitação deste documento é cada vez maior. Hoje existe postos de expedição de identidade, no Terminal Rodoviário, no São Lázaro, no Buritizal e Central de Atendimento a População (CAP). “Vamos melhorar ainda mais esse serviço. A Politec quer um serviço ágil, mas com segurança sem incorrer no risco de expedir Carteira de Identidade para indivíduos mal intencionados”.

EQUIPAR - Garantir a aquisição de mais veículos, de equipamentos modernos, que permitem a realização de exames essenciais aqui mesmo no Estado. Hoje tais exames são feitos em outros Estados. A Politec está pleiteando junto ao Governo Federal recursos destinados a ampliação da sala de necropsia e carros tumba.


EDY WILSON SILVA

Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433


Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.