Waldez Góes promete fortalecer
relações com a Guiana Francesa

As relações de cooperação entre Brasil e França, através da fronteira entre Amapá e Guiana Francesa, serão mantidas e fortalecidas a partir de 2003. Esta intenção foi manifestada ontem pelo governador eleito Waldez Góes ao embaixador da França no Brasil, Alain Rouquie, durante almoço na Embaixada da França. Atendendo convite do embaixador, Waldez visitará à Guiana Francesa na primeira quinzena de dezembro, faltando apenas definir a data.

No decorrer do almoço oferecido ao governador eleito, Alain Rouquie demonstrou interesse em conhecer os projetos que serão implantados no Amapá no próximo Governo. Ficou sabendo que o relacionamento com o departamento francês está entre as prioridades, e neste prisma a conclusão da Rodovia BR-156 merece destaque. A estrada e a ponte sobre o Rio Oiapoque, prevista no acordo de cooperação internacional entre Brasil e França, são fundamentais para permitir a integração entre os dois países. Waldez também anunciou que vai trabalhar para elevar o Aeroporto de Oiapoque à condição de internacional, o que permitirá o pouso e a decolagem de aeronaves que fazem vôo entre Brasil e França.

Combate à violência
O governador eleito também revelou sua preocupação em relação aos problemas da violência no Amapá, que atinge de modo especial a população jovem de Macapá e Santana. E explicou que, entre outras estratégias, pretende enfrentar o problema reforçando o policiamento ostensivo e dando uma dimensão educacional à área de segurança, com ação junto aos alunos da rede estadual de ensino.
O Adido de Polícia, André Minana, Chefe da Missão de Cooperação Policial da Embaixada da França, se colocou à disposição do futuro governante do Amapá, para eventuais ações de colaboração, especialmente na área de formação policial.

Ação cultural
Na área cultural, com uma série de ações já em curso, um dos pontos destacados durante o almoço foi a construção de centros culturais no Amapá e na Guiana Francesa. O objetivo destes centros será historiar a própria relação de intercâmbio transfronteiriço, bem como oferecer espaços para eventos culturais e ser um centro de hospedagem para as delegações de Brasil e França que estejam em missões oficiais.

Relações comerciais
Waldez Góes também mencionou a necessidade de incrementar as relações comerciais entre o Amapá e o departamento francês, com a sugestão de que sejam identificados produtos que possam atender as necessidades das duas partes, nos aspectos de produção e consumo.
O governador eleito esteve presente ao almoço acompanhado do senador Sebastião Rocha, do deputado federal eleito Gervásio Oliveira, e do prefeito de Amapá, Rildo Alaor. Da Embaixada da França, além de Alain Rouquie e André Minana, estiveram no almoço Marieanne Carre, Representante de Assuntos de Política Interna do Brasil, Jean-Paul Roumegas, adido de Cooperação Educativa do Serviço de Cooperação e de Ação Cultural, e Véronique Wagner, Chefe da Chancelaria Consular.


ASSESSORIA DE IMPRENSA
Marcelo Roza
Tel.: 9112.2740
E-mail: [email protected]

Fotos: F. Bizerra/BG Press/AJB

Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433


Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.