Ruy Guarany Neves - O escândalo do mensalão

A sociedade brasileira se prepara, para assistir o maior julgamento da história do Supremo Tribunal Federal.  Na pauta, o processo referente ao rumoroso escândalo denominado de “mensalão”, que abalou a estrutura do governo e estarreceu a Nação. Cerca de 38 políticos beneficiários de foro privilegiado, estarão sendo julgados por um colegiado composto de 11 ministros que integram a Alta Corte de Justiça, tendo como relator, o ministro Joaquim Barbosa. Nada menos do que 50 advogados, estarão atuando na defesa dos réus de colarinho branco. Atuando na acusação, estarão os procuradores do Ministério Público Federal, como legítimos fiscais da lei e representantes da sociedade.

Tudo começou, quando o deputado Roberto Jeferson , ex presidente do PTB nacional, botou a boca no trombone, para denunciar a compra de apoio parlamentar, orquestrada pelo ex Chefe da Casa Civil, José Dirceu, de extrema confiança do ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A criação da CPI, para investigar as denúncias, sofreu pressões por parte da tropa de choque do governo, que foi obrigada a recuar, graças à participação da imprensa. O Brasil, de ponta a ponta, tomou conhecimento do escândalo. Apenas o presidente Lula, dizia que “não sabia de nada e saiu por aí, colocando todo o seu populismo, na tentativa de convencer o povo, de que, o mensalão nunca existiu. Pura balela, pois, no decorrer das investigações, ficou comprovado, que o escândalo era muito maior do que se poderia imaginar. A CPI dos Correios, com o ficou conhecida, em seu relatório final, encaminhado a Justiça, concluiu pela existência de um escândalo de alta magnitude, envolvendo figuras do PT, bancos, empresários, no desvio de dinheiro público, para fins ilícitos, sem poupar o autor da denúncia, que aparece no processo, como participante do esquema de corrupção e lavagem de dinheiro. A cassação dos mandatos dos deputados José Dirceu-PT e Roberto Jeferson-PTB, não deixou dúvidas quanto a existência do “mensalão””.

Enquanto a podridão era comprovada pelas investigações da CPI e levada ao conhecimento da Nação, o “homem que não sabia de nada”, tratava os servidores públicos da União, como se fossem os vilões da Pátria, concedendo 1 % de reajuste salarial, ao mesmo tempo em que, permitia a distribuição de cartões de crédito corporativos, beneficiando apaniguados do poder, dando nova dimensão à farra com o dinheiro público.

Hoje fora do poder, Lula tem se esforçado para adiar o julgamento do mensalão, chegando a reunir com o ministro Gilmar Mendes, do STF e o ex ministro da Defesa Nelson Jobim, na tentativa de criar um impasse, para burlar o julgamento.

O DIA “D” do mensalão, continua sem alteração e o julgamento terá inicio nesta quinta feira, 2 de agosto. Quanto ao que poderá acontecer, depende da batalha jurídica que será travada no plenário do STF. Não restam dúvidas, no entanto, que, independentemente do resultado, a opinião pública já deu sinais, de que, Lula e o PT, sairão desgastados politicamente.

Deixe um comentário

Nota do moderador: Comentários preconceituosos, racistas e homofóbicos, assim como manifestações de intolerância religiosa, xingamentos, ofensas entre leitores, contra a publicação e o autor não serão reproduzidos. Não é permitido postar vídeos e links. Os textos devem ter relação com o tema do post. Não serão publicados textos escritos inteiramente em letras maiúsculas. Os comentários reproduzidos não refletem a linha editorial do site.

Desenvolvido por Claudio Correia - Adm