Alegria e música: Coral do Tribunal de Justiça comemora 17 anos de criação

O primeiro contato com a música, para muitos dos servidores do Tribunal de Justiça do Amapá, foi no Coral da Instituição, criado em 30 de junho de 1995. No começo, a curiosidade em saber como funcionava um Coral, mas com o passar dos anos a certeza de fazer parte de um instrumento que leva emoção, alegria e harmonia às pessoas, cativando e cultivando amizades por onde passa.

A iniciativa para a criação do Coral veio em 1995, quando o maestro Gilberto Oliveira apresentou a ideia ao presidente da época e atual presidente da Instituição, Desembargador Mário Gurtyev de Queiroz. “Eu abracei a ideia, porque logo percebi que um Coral fomenta a união. Deu certo, tanto que tem nos proporcionado grandes apresentações e muita alegria”.

Leandra Valéria, que é a Maestrina do Coral do Tribunal de Justiça, disse que, em seu histórico profissional, este está sendo um momento de maior realização da carreira. “Temos aqui um grupo muito engajado, dedicado, todos os projetos que eu proponho eles abraçam com muito amor, apesar das dificuldades por serem servidores e terem pouco tempo, mas a dedicação e o carinho fazem com que os projetos saiam bem e nós tenhamos sucesso em tudo que fazemos e isso me enche de muita alegria e muita satisfação”.

Prestes a completar 17 anos, o Coral tem sido conhecido e reconhecido por difundir e estimular a prática da musicalidade em todos os gêneros e formas. Tudo isso através de apresentação nas igrejas, colégios, associações, festivais, encontros regionais, nacionais e internacionais.

Depoimentos de servidores que fazem da música uma realização pessoal:

Manoel Ambrósio Vidal- Escola Judicial do Amapá- “O coral traz pra gente uma liberdade em todos os aspectos como: liberdade de expressão, coragem para trabalhar com mais qualidade, harmonia com os servidores.

Participar do coral para mim é mais uma qualidade de vida que aqui realmente a gente tem e não deve perder. Participar do Coral pra mim, é tudo na vida.”

Simone Leite Sarmento- Seção de Biblioteca e Divulgação- “É a realização do nosso trabalho. Pra mim, em especial, o coral faz aniversário junto comigo no Tribunal. Entrei no tribunal em 1º de junho e o Coral iniciou suas atividades no dia 30 junho, então para mim tem um gostinho um pouco mais especial.”

Rosilene Soares Santos- Seção de Protocolo- “Fazer parte do Coral é de uma grandiosidade. Em nossos ensaios e apresentações deixamos o estresse de lado; conhecemos melhor os nossos colegas que ficam próximos da gente, que no dia a dia não temos muito contato. O Coral nos deixa mais entusiasmados e harmoniosos para o trabalho.”

Nilce Lima- Diretora-Presidente do Coral- “Nós temos um slogan no Coral que diz: “o Coral canta e encanta”, e é exatamente esse espírito que a gente quer passar, essa sensação. Essa emoção que vemos e sentimos desabrochar nas pessoas. E isso não tem preço.É uma reciprocidade de emoção indescritível.

Raimundo Gama- Divisão de Engenharia- “Toda manifestação artística tem por objetivo fazer uma boa apresentação. E dessa maneira, temos procurado desenvolver com muito amor essa atividade cultural”.

Deixe um comentário

Spam protection by WP Captcha-Free

Desenvolvido por Claudio Correia - Adm