Sede do Ijoma: um sonho que se concretiza

Após dois anos de muito empenho, presidente e voluntários veem o sonho se concretizar: a sede do Instituto do Câncer Joel Magalhães (Ijoma) será inaugurada na quinta-feira, dia 2. Alvorada com toque do Marabaixo, às 6h, marcará o início de um novo tempo para o Ijoma. A solenidade de inauguração será às 8h30. Depois, haverá visita às dependências do Instituto e à exposição das obras do artista plástico Herivelto Maciel. Missa em ação de graças, às 19h, seguida de show musical com Juliele, Osmar Júnior, Ramón Frazeli e apresentação da bateria da Escola de Samba Marcatu da Favela, encerram a programação.

O prédio, localizado na Avenida Silas Salgado, no bairro Alvorada, possui recepção, sala da presidência, secretaria, auditório, sala do serviço social, sala de atendimento psicológico, gabinete odontológico, área para eventos e terapia ocupacional, biblioteca, farmácia, tesouraria, refeitório, cozinha, dispensa e área de serviço.

Além das atividades administrativas e de atendimento médico, odontológico, psicológico e espiritual aos doentes do câncer, a sede também terá espaço reservado ao acolhimento de pessoas carentes e portadoras de câncer, que não têm família, ou moram no interior e vêm à capital em busca de tratamento. Para isso, foram construídos quatro apartamentos com capacidade para dois pacientes e dois acompanhantes, cada um, e uma enfermaria para seis leitos.

A obra custou R$ 700 mil, dos quais R$ 150 mil foram doados pela Prefeitura Municipal de Macapá (PMM) e R$ 550 mil são oriundos de doações da comunidade e de campanhas. A PMM também doou mais um terreno, anexo à sede do Ijoma, onde será construído, futuramente, um prédio de três andares.

“Vendo o entusiasmo e a seriedade do trabalho desenvolvido pelo Ijoma, a Prefeitura doou mais uma área onde construiremos mais apartamentos, enfermarias, ambulatório, lavanderia, capela e outros espaços para suprir as demandas que se apresentarem”, festeja padre Paulo Roberto, presidente do Instituto.

Segundo padre Paulo, ele e os voluntários, que trabalham em benefício da vida, procuram seguir o mandato de Jesus Cristo: “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância” e todos se sentem gratos a Deus por ter idealizado esse plano para eles executarem.

“Meu sentimento também é de gratidão. Me emociona saber que, mesmo nas nossas misérias, Deus nos faz instrumentos de sua misericórdia e seu amor para aliviar a dor das pessoas. Valeu a pena ser padre, porque este projeto não está separado do exercício do sacerdócio e da fé. A consciência de cidadania também é determinante na realização de um projeto como esse. Quando a sociedade decide e se une o sonho se torna realidade. Agradeço também às pessoas que responderam e respondem aos nossos apelos”.

De acordo com os registros da instituição, das 700 pessoas acometidas pelo câncer no Estado, 215 estão cadastrados no Ijoma.

Graça Penafort
Jornalista colaboradora do Ijoma

Deixe um comentário

Desenvolvido por Claudio Correia - Adm