Promotores querem a declaração da inelegibilidade de Roberto Góes

Os promotores de Justiça que atuam no Ministério Público Eleitoral, Afonso Guimarães, Flávio Cavalcante e André Luiz darão entrada na 10ª Zona Eleitoral, cujo titular é o juiz de Direito Luciano Assis, em Ação de Investigação Judicial Eleitoral para declarar a inelegibilidade do atual prefeito de Macapá, Roberto Góes.

Para os promotores, Roberto Góes cometeu inúmeros crimes eleitorais durante o último pleito, configurando abuso de poder político, tais como: contratação em período vedado pela legislação eleitoral de 180 gerentes (cargos comissionados); doação de títulos de domínio sem cobrança de taxa de legitimação; utilização de servidores em campanha; utilização indevida de recursos e maquinários públicos para lhe favorecer como candidato, dentre outros. Caso venha a ser condenado, Roberto Góes poderá ficar impedido de concorrer a qualquer cargo eletivo em razão da Lei da Ficha Limpa.

Data: 13 de novembro (quinta-feira).
Hora: 9h
Local: 10ª Zona Eleitoral – TRE (Av.: Mendonça Junior, 1452, Centro.)
Entrevista: promotores de Justiça Afonso Guimarães, Flávio Cavalcante e André Luis.

-
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá

Um comentário sobre “Promotores querem a declaração da inelegibilidade de Roberto Góes”

  1. primeiro diz:

    tá na hora de impedir que esse cidadão volte ao cenário politico do Amapá…penso que luagar de criminoso é na cadeia.

Deixe um comentário

Nota do moderador: Comentários preconceituosos, racistas e homofóbicos, assim como manifestações de intolerância religiosa, xingamentos, ofensas entre leitores, contra a publicação e o autor não serão reproduzidos. Não é permitido postar vídeos e links. Os textos devem ter relação com o tema do post. Não serão publicados textos escritos inteiramente em letras maiúsculas. Os comentários reproduzidos não refletem a linha editorial do site.

 
Desenvolvido por Claudio Correia - Adm
Iniciado em 16/07/2012