Tribunal de Contas do Amapá fará auditorias coordenadas em parceria com o TCU

O Tribunal de Contas do Estado do Amapá (TCE/AP) está entre os Tribunais de Contas que assinaram termos de cooperação com o Tribunal de Contas da União (TCU), para a realização de auditorias coordenadas na área de educação e do Meio Ambiente. A Conselheira Presidente, Maria Elizabeth Cavalcante de Azevedo participou do evento. .

A ação nacional foi articulada pelo TCU em parceria com a Associação dos Membros de Tribunais de Contas do Brasil (Atricon) e o Instituto Rui Barbosa (IRB) e objetiva avaliar a qualidade do ensino médio oferecido pelo poder público e a efetividade de ações ambientais.

Em sua apresentação, o ministro Augusto Nardes disse que as auditorias coordenadas em parceria com os Tribunais de Contas brasileiros representam uma evolução na forma de atuação do Tribunal de Contas da União, assim como significa um passo decisivo na ideia de governança corporativa. “Essa ação contribui para o aprimoramento e a transparência da gestão pública brasileira”, ponderou o ministro. Ele informou que vem defendendo esse modelo de atuação perante as autoridades federais brasileiras.

De acordo com presidente da Atricon, conselheiro Antonio Joaquim, a solenidade de lançamento das Auditorias Coordenadas em Educação em Meio Ambiente marca um dia literalmente histórico, pois representa um grande passo para a consolidação do sistema nacional de controle externo. Para o dirigente, trata-se também de um fato histórico e merecedor de registro pelo fato de a ação coordenada objetivar avaliar resultados de políticas públicas.

Segundo o conselheiro Antonio Joaquim, os Tribunais de Contas têm capacidade de exercer um papel fundamental para o desenvolvimento nacional, ao atuar como fomentador da executoriedade de políticas públicas. Ele citou a ação coordenada realizada no dia 13 de março como exemplo, quando Tribunais de Contas em 22 Estados brasileiros realizaram atividade em parceria com o Sebrae pela implementação e observância da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas (Lei Complementar 123/2006), notadamente no aspecto relativo às compras governamentais. Citou também como exemplo ação do TCE/MT, que executa projeto denominado Programa de Desenvolvimento Institucional Integrado (PDI), voltado para a capacitação de gestores públicos.

O conselheiro Severiano Costandrade, presidente do Instituto Rui Barbosa (IRB), ressaltou que as auditorias coordenadas são a consolidação de todo esse esforço feito nos últimos anos nas auditorias operacionais. Disse que “acreditamos que as auditorias coordenadas sejam a clara demonstração de que os Tribunais de Contas extrapolam as fronteiras de um país continental por meio do diálogo, do planejamento e do tecnicismo”, finalizou.


Ilziane Launé
Assessoria de Comunicação do TCE/AP

Deixe um comentário

Nota do moderador: Comentários preconceituosos, racistas e homofóbicos, assim como manifestações de intolerância religiosa, xingamentos, ofensas entre leitores, contra a publicação e o autor não serão reproduzidos. Não é permitido postar vídeos e links. Os textos devem ter relação com o tema do post. Os comentários reproduzidos não refletem a linha editorial do site.

 
Desenvolvido por Claudio Correia - Adm
Iniciado em 16/07/2012